O pensamento e a lágrima

o Self e suas inter-relações

  • Clara Rossana Ferraro de Sá Autónoma
Palavras-chave: psicologia do self, consciência, inconsciente (psicologia), ego

Resumo

Este trabalho trata-se de um estudo de caso, com duração de quatro anos, em sessões semanais de 50 minutos, realizadas em consultório particular. Foram utilizados o recurso das técnicas expressivas e a análise de sonhos. A análise junguiana estrutura-se em um espaço sagrado, um Temenos. Níveis mais profundos da alma são acessados por meio da tradução dos conteúdos simbólicos produzidos durante as sessões, tornando assim possível um diálogo com os complexos constelados pelo Self, o arquétipo central. Para Jung, o centro da consciência é uma estrutura que gera identidade, o ego, e o Self seria o centro organizador que abrange a totalidade psíquica. A relação entre os centros ego e Self proporciona a estruturação da consciência e tem como meta o processo de individuação, no qual os conteúdos de ordem inconsciente são assimilados e significados, trazendo autoconhecimento. O resultado é uma ampliação da consciência e o consequente autoconhecimento. Neste processo, o desafio criativo apresentou-se como a necessidade de despotencializar a função egoica do pensamento que aparece como o Complexo de Medusa. Esse excesso mobiliza as forças antagônicas que buscam equilíbrio. A consequente integração da função sentimento traz fluidez e consciência ao corpo inteiro que retribui com fertilidade e energia renovada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bachelard, G. (1990). A terra e os devaneios do repouso. São Paulo: Martins Fontes.

Bachelard, G. (1991). A terra e os devaneios da vontade. São Paulo: Martins Fontes.

Boechat, W. (2008). A mitopoese da psique: mito e individuação. Petrópolis, RJ: Vozes.

Brandão, J. S. (1986). Mitologia grega (Vol 1). Petrópolis, RJ: Vozes, 1986.

Jung, C. G. (1976). Os arquétipos e o inconsciente coletivo (Obras completas, Vol. IX/I). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1950).

Jung (1988). Prática da Psicoterapia (Obras completas, Vol. XVI). Petrópolis, RJ: Vozes.

Jung, C. G. (1990). Mysterum coniunctionis (Obras completas, Vol. XIV/II). Petrópolis, RJ: Vozes.

Jung, C. G. (1998). Mysterum coniunctionis (Obras completas, Vol. XIV/III). Petrópolis, RJ: Vozes.

Kalsched, D. (2013). O mundo interior do trauma. São Paulo: Paulus.

Robell, S. (1997). A mulher escondida. São Paulo: Summus Editorial.

Sá, C. R. F. (2007). Hystera e phallós: o claro-escuro dos caminhos de Eros: intenção e essência do amor. 2007. Recuperado de http://www.ijpr.org.br/artigos-monografias.

Sá, C. R. F. (2009). Segredos curvos. 2009. Recuperado de http://www.ijpr.org.br/artigos-monografias.

Wright, D. (2004). Os ritos e mistérios de Eleusis. São Paulo: Madras.

von Franz, M.-L. (2000). O gato: um conto da redenção feminina. São Paulo: Paulus, 2000.

von Franz, M.-L, & Hillman, J. (1995). A tipologia de Jung. São Paulo: Cultrix.

Publicado
30-09-2019
Como Citar
Ferraro de Sá, C. R. (2019). O pensamento e a lágrima. Self - Revista Do Instituto Junguiano De São Paulo, 4(1), 1-30. https://doi.org/10.21901/2448-3060/self-2019.vol04.0011
Seção
Estudo de caso